sexta-feira, 28 de março de 2014

exploração sexual

Extremamente chocante o resultado da pesquisa do IPEA sobre violência sexual. Quando 2/3 dos entrevistados são mulheres que dizem que outras mulheres 'merecem ser atacadas' por conta de suas roupas nos dá um sinal grave sobre nossa sociedade. Quando alguém sinaliza isso, passa a responsabilidade também para a vítima, o que é um completo absurdo! -Jandira Feghali.
Eu concordo com a Jandira Feghali, um absurdo, depois digo que as mulheres são as grandes machistas e algumas companheiras ficam chateadas.( alexandre lucas)

Depois que li estas palavras resolvi escrever sobre isso, em minha opinião nossa sociedade começou errada, somos ainda uma colônia de exploração, onde o povo que é emergente sonha em ter riquezas para poder ir lá para fora, não era isso que faziam com nossa riquezas? não foi assim que toda a espécie de presidiários, vagabundos, prostitutas que ao fazerem o mínimo de riqueza voltavam a velha terra com títulos de duque, duquesa e tendo sua reputação "limpa"?
O que mudou de lá pra cá? nada.
Fomos também colonizados pela igreja católica que ao menor sinal que pudesse ir de encontro aos seus princípios religiosos eram perseguidos. a parte que trouxe os ensinamentos da igreja protestante também foram igualmente religiosos, condenando seus seguidores a um processo de não se poder fazer nada, por que era pecado, e isso nem sempre é uam verdade no caso das vestes por exemplo, condenou gerações e gerações a nem ir a praia, piscina ou cachoeira com vestes normais para isso pois estaria pecando, com isso enraizou em nossa sociedade que roupa curta a mulher está se mostrando para o homem.
Já fiz diversas vezes este paralelo, que as vezes a pessoa está vestida dos pés a cabeça, mas seu comportamento é tão degradante que a menina de vestes curtas parece uma dama.
Não é a roupa que vai mostrar o carácter de alguém, não é a roupa ou modo de se portar que está chamando alguém a fazer o que ela não deseja com você, cada pessoa tem o livre arbítrio de se vestir, de dançar, da maneira que quiser, para isso existe a palavra, eu quero ou eu não quero.
Respeito muitas do movimento feminista e suas causas, mas também critico e muito várias manifestações que mas me parecem palavras machistas do que outra coisa, precisamos dá um basta no machismo, mas também uma basta em seu sinônimo no feminismo, que mais uma vez eu digo ser em alguns procedimentos iguais ao próprio machismo...

Marcione Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário